UNIFICAÇÃO DAS MÚSICAS DAS FILHAS DE JÓ INTERNACIONAL


Ter a unificação das letras das músicas cantadas nas cerimônias das Filhas de Jó Internacional no Brasil, sempre foi um sonho e com a aprovação da realização de congressos nacionais no Brasil, abriu-se uma excelente oportunidade de tornar este sonho realidade.

Esta porta foi aberta já no I CONABB, realizado em Recife, Pernambuco, de 19 a 21 de outubro de 2012, ano em que tivemos também a publicação do Ritual e do Ritual Musical revisados na Suprema Sessão de 2011, portanto, todo o trabalho já foi pautado nas letras e notas musicais revisadas.

Após exaustivo trabalho de coleta antecipada de livrinhos de músicas de diversos estados, arquivos com gravações de músicas cantadas e preparação de uma planilha comparativa na qual, cada música foi colocada e, linha a linha, traduzida e comparada às versões existentes, identificamos músicas que nunca tinham sido traduzidas e músicas com até doze (12) versões diferentes, como foi o caso de "Abram as Portas do Bethel".

No I CONABB houve votação para definir se as jurisdições de fato desejavam a unificação e foi aprovada por unanimidade. Foi possível então, discutir e votar oito (8) músicas, sendo elas: "Abram as Portas do Bethel", "Nós Somos as Filhas de Jó", "Santo, Santo, Santo", "Doce Hora da Prece", "Prece Canção de Mães, Pais e Guardiões", "Agora Nosso Trabalho Acabou", "Avante Soldados Cristãos" e "Sincera Serei". Todo o material de estudo foi colocado a disposição para quem tivesse interesse.

No II CONABB, realizado em Contagem, Minas Gerais, de 10 a 12 de outubro de 2015, foram realizadasreuniões com a presença e orientações da Past Suprema Guardiã Toni Underwood, nas quais algumas letras foram discutidas e cantadas por Filhas dos estados do Ceará, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo tendo também como base, as gravações das músicas cantadas em inglês, especialmente para nós, pelo Coral de um Bethel de Maryland, EUA que participou da competição entre Corais, na Suprema Sessão de 2015.

No III CONABB, realizado em Guarapari, nos dias 13 a 15 de outubro de 2017, estas sugestões de letras foram apresentadas em reunião com todos os participantes do Congresso e votadas de forma que foi possível completar a lista de músicas para que fossem incluídas no eRitual (em format eReader), hoje disponível na Amazon. Adicionalmente, a Suprema Guardiã, Shelly Cole, e a Suprema Deputada para o Brasil, Marcy Jaqua, informaram que todos os Bethéis do Brasil deverão adotar estas letras até 31 de julho de 2018, de forma que as atividades das gestão do segundo semestre de 2018 já iniciem em conformidade com a unificação.

Os próximos passos a serem realizados em paralelo são:

- divulgação das letras unificadas e incentive aos Bethéis para adoção das mesmas. Trabalho a ser liderado por cada um de nós, membros da Ordem, fazendo nossa parte na realização deste sonho.

- gravação das músicas cantadas em CDs para distribuição. Este processo levará um tempo para ser concluído visto não termos, em Português, um alfabeto fonético como o Alfabeto Fonético Internacional. Por este motivo, não podemos aguardar a geração deste CD para adoção das letras unificadas. Necessário já adotarem as letras na forma que atualmente cantam (cadência, …) para que depois reste apenas o acerto dos sotaques.

- Colocação das letras nas partituras e publicação do Ritual Musical, em Português, no mesmo formato que temos para os demais países onde temos a Ordem presente. Trabalho a ser iniciado em março/2018 com o auxílio da Suprema Deputada para o Brasil e com expectativa de ser finalizado no mesmo ano.

Agora, falemos um pouco sobre o trabalho já realizado. Após o I CONABB, o objetivo era continuar o trabalho de forma remota, ou seja, trocando-se emails e mensagens em um grupo formado por voluntários que se mostraram interessados. Não foi possível proceder desta forma por diversos motivos, dentre eles, a dificuldade de coordenar tantas pessoas e suas opiniões através de trocas de mensagens e emails então, partimos para opções como publicaras letras e gravações em um site,com um formulário para que cada filha e adulto da Ordem submetesse sua opinião. Porém, não foi possível concluir o trabalho de gravação das músicas pela dificuldade de discussão através de trocas de gravações diversas.

Em paralelo, foram procuradas instituições de ensino de música em busca de alguém a quem pagaríamos para colocar as letras em português dentro da partitura do Ritual Musical. As instituições consultadas não se interessarammas tivemos o interesse de um membro do CGB do Bethel #11 de Goiás em colaborar. Duas músicas foram colocadas partitura mas também não foi possível continuar.

Foram muitas idéias, tentativas e dificuldades, incluindo usar versões de igrejas, perda de arquivos, … então, mediante idas e vindas e dificuldades de foco, percebemos, mais uma vez o que já havíamos identificadoquando nos preparamos para o II CONABB: é uma luta inglória realizar um trabalho como este sem a presença física das pessoas. Só tivemos verdadeira efetividade através das reuniões presenciais nos CONABBs.

Por fim, através destes anos, foram muitas as pessoas envolvidas fornecendo livrinhos, músicas gravadas que seus Bethéis utillizavam, idéias, discussões, gravações das novas letras, … então, segue abaixo, em ordem alfabética, os nomes de pessoas que direta ou indiretamente, pouco ou muito, pontualmente ou durante todo o processo, auxiliaram para estarmos no ponto que estamos. Todas as colaborações foram muito importantes! Pedimos que, por gentileza, se esquecemos o nome de alguém, que nos avise através do email de contato do FDJBrasil para que seu nome seja incluído:


Alexandre Sperb –Rio Grande do Sul

Aline Busnardo – Goiás

Aline Camurate – Minas Gerais

Andreza Rodrigues – Pernambuco

Angelica Righi – Mato Grosso

Anna Cambahuba – Mato Grosso

Camila Sa Freire – Amapa e Amazonas

Cecilia Amstalden – São Paulo

Cenira Cury – Mato Grosso do Sul

Daniela Nascimento – Bahia e Sergipe

Darian - Goiás

Eliane Alencar – Ceará

Fabiana de Luna – São Paulo

Giany Pedrosa – Rio Grande do Norte

Gilda Grigolin– Paraná

Gilma Souza – Goiás

Helena Amstalden – São Paulo

Izabele Mozer – Mato Grosso

Jose Alves - Ceará

Laura Dozza – Santa Catarina (Laurinha?)

Leda Almada – Espírito Santo

Leticia Bellorio – Mato Grosso

Letícia Coimbra – Mato Grosso

Letícia Hirt – Santa Catarina

Lorena Araújo - Goiás

Luiza Caroline Silva– Minas Gerais

Marcy Jaqua – Califórnia, EUA

Marilee Smiley – Michigan, EUA

Marina Pinchemel - Bahia

Marta Pantanalli – Santa catarina

Nefftali Couto – Rio Grande do Norte

Sandy Coelho – Roraima

Sarvia Lima – Acre

Thayana Moura - Pará

Toni Underwood –Missouri, EUA


COLABOREMOS, TODOS NÓS, COM ESTE PROCESSO QUE MUITO BEM FARÁ À NOSSA ORDEM!


IDÉIAS PARA FACILITAR OS PRÓXIMOS PASSOS TAMBÉM SÃO SUPER BEM-VINDAS! 


Alguns link importantes:

O texto na integra dessa publicação em PDF aqui

Cartão de Musicas aqui 

Leia sobre o ponta pé inicial da unificação aqui

Material com todas as musicas coletadas aqui












RITUAL: E-RITUAL


O ritual das Filhas de jó,em português já está disponível no site da Amazon

O Ritual das Filhas de Jó, em inglês você pode adquirir no site Barnes & Noble ou Amazon

Baixe o App Kindle no seu dispositivo pelo google play ou Apple Store.

Lembrando que o ritual físico poderá ser adquirido através do link

E ai gostaram da novidade?

Boa leitura!

ASSOCIAÇÃO ALUMNI


A Associação Alumni  é uma organização que deve funcionar sob a direção da Suprema Guardiã e do Supremo Conselho Guardião. das Filhas de jó internacional com o proposito de fornecer recursos para auxiliar a perpetuação das FJI.

Esses recursos podem ser definidos como aumentar o número de membros de Bethéis, identificar futuros membros de CGB, fornecer recursos financeiros adicionais e identificar habilidades especiais que possam ser usadas para o engrandecimento das FJI.

A elegibilidade para associação nesta organização consistirá de Membros de Maioridade das FJI e todos os adultos que tenham trabalhado com um Bethel por um período mínimo de três (3) anos.

A associação vitalícia a Alumni do Supremo deve ser concedida a cada colaborador que contribua com um mínimo de trinta e cinco  dólares (US$35.00).

Foi concedido a todos os membros que ingressaram na Associação Alumni de 1º de Agosto de 1992 até 8 de Agosto de 1993 serem incluídos na lista de membros da Carta Constitutiva.

O comitê Alumni deverá ser formado de pelo menos 3 membros que deverão ser selecionados pela Suprema Guardiã.

Grandes Conselhos Guardiões e Conselhos Guardiões Jurisdicionais tem autorização para solicitar a criação de uma Associação Alumni para a sua jurisdição.

A função principal de uma Associação Alumni é servir de incentivo para os membros de maioridade não perderem o contato com seus bethéis. É também função da Alumni dar suporte aos membros ativos do bethel, orientando-os em suas atividades, já que a manutenção de antigas lideranças é fundamental para que os jovens líderes sintam-se incentivados a desenvolver habilidades e capacidades individuais.

A participação na Associação Alumni não é obrigatória. O membro de maioridade que acreditar ter perfil adequado para participar manifesta o interesse e se associa de maneira voluntária.

A primeira Associação Alumni no Brasil foi devidamente instalada no dia 26 de Agosto de 2017 por solicitação do Conselho Guardião Jurisdicional do Estado do Rio de Janeiro.


LISTA DE BRASILEIRAS QUE JÁ PARTICIPARAM DO SUPREMO BETHEL

Supremo Bethel 2017-2018

O Supremo Bethel deve consistir de todos os membros da Ordem que tenham se registrado para a Sessão Anual do SCG que ocorre durante a Suprema Sessão.

O registro para o Supremo Bethel pode ser feito previamente através do Comitê de Coordenação da Sessão do SCG ou pelo Comitê do Supremo Bethel durante a Sessão.

O Supremo Bethel deve realizar sua Reunião Anual durante e independente da Sessão Anual do SCG, com o consentimento e sob a autorização do SCG. 

Saiba mais sobre o supremo Bethel nos links abaixo:



Conheçam as brasileiras que já fizeram parte do Supremo Bethel:

Alessandra: Representante do Supremo Bethel 2007/2008 

Aline Busnardo: Representante do Supremo Bethel para British Columbia/Canadá 2008/2009, Representante do Supremo Bethel para New Mexico/EUA 2009/2010, Representante do Supremo Bethel para Kansas/EUA 2010/2011, Primeira Zeladora do Supremo Bethel 2011/2012 

Ana Carolina Marin Gonçalves: Representante do Supremo Bethel para Califórnia 7 e 8/EUA 2007/2008

Anneta Marcon Martins: Representante do Supremo Bethel para Califórnia 7 e 8/EUA 2013/2014 

Barbara Cidro: 4ª Mensageira do Supremo Bethel 2015-2016.

Catharina Freitas: Representante do Supremo Bethel para o Espirito Santo 2015-2016

Carolina Mesquita: 5ª Mensageira do Supremo Bethel 2015-2016

Emanuele Machado: 2ª Mensageira do Supremo Bethel 2016-2017

Geovana Machado: Representante do Supremo Bethel para o Acre 2015/2016.

Giovanna Lima: Tesoureira do Supremo Bethel 2013/2014 e Guia do Supremo Bethel 2014/2015 

Jéssica Domingues: Capelã do Supremo Bethel 2009/2010 e Tesoureira do Supremo Bethel 2010/2011 

Julia Lima: representante do Supremo Bethel para Pennsylvania 2015-2016 

Lara Vega: Representante do Supremo Bethel para Bahia 2015-2016

Letícia Coimbra: 5ª Mensageira do Supremo Bethel 2014/2015 

Ludmila Murta: 2ª Mensageira do Supremo Bethel 2002/2003

Maisa Costa: Representante para o Arizona 2015-2016.

Raissa Marchiori: Representante do Supremo Bethel para o Maranhão 2015-2016

Roberta Donega: Representante do Supremo Bethel para Bahia/Brasil 2007/2008 

Para participar do sorteio para o Cargo de Honoravel Rainha do Supremo Bethel tivemos: Gabriella Crevelaro (2015), Emanuele Machado ( 2015 e 2016), Giovana Lima (2014).

Se seu nome não foi citado ou de alguém que você sabe que participou nos informe nos comentários para acrescentar na lista.


Deliberações sobre as Emendas



As Emendas que foram aprovadas: 
2, 3, 5, 7, 11, 12, 13, 16, 17a e 17b, conforme alterada), 18, 20 (conforme alterada por quem propôs), 24 (conforme alterada), 25, 26, 27, 28 , 29 e 31 (conforme alterada)

As Emendas adotadas como tarefas domésticas foram:
4,6,21 e 22

As Emendas vetadas: 
 1, 14 e 19

Emendas retiradas:
8, 9, 10, 15, 23 e 30

Links para as Emendas:

Emendas 1
Emendas 2
Emendas 3
Emendas 4
Emendas 5

EMENDAS PROPOSTAS DE 2017 - EMENDAS DE 1 A 31 - PARTE 5


Emenda #29

R&R Supremo Bethel

Atualmente:

Capelã SB: Nosso Pai Celestial, agradecemos a você o privilégio de nos reunir mais uma vez.

Guia e proteja-nos ao longo desta sessão. Pedimos isso em nome de nosso Pai e façamos a oração que Ele nos ensinou... Nosso Pai, que está no Céu ... Todos repetem a oração do Senhor. A Musicista toca a música para a capelã voltar ao seu posto. Um golpe de malhete (*).

Alteração:

A capelã do supremo Bethel tem três opções para a oração de abertura. Ela pode usar uma das

seguintes opções que incluem a Oração do Senhor, usar a Oração de Abertura do Ritual ou

apresentar uma oração original. A oração original deve ser apresentada a Guardiã do Supremo Bethel para aprovação. A decisão de qual opção usar será feita pelo HRSB, GSB e GASB.

Opção 1
Capelã SB: Nosso Pai Celestial, agradecemos a você o privilégio de nos reunir mais uma vez.

Guia e proteja-nos ao longo desta sessão. Pedimos isso em nome de nosso Pai e façamos a oração que Ele nos ensinou... Nosso Pai, que está no Céu ... Todos repetem a oração do Senhor. A Musicista toca a música para a capelã voltar ao seu posto. Um golpe de malhete (*).

Opção 2
Capelã SB: Pai abençoado, agradecemos a você a oportunidade de nos encontrarmos. Faça-nos prontas e ansiosas para reunir conhecimento e sabedoria para que possamos crescer juntas para nos tornar confiantes jovens mulheres. Dê nos fé para confiar que você sempre nos guiará e nos ajudará a aceitar os outros. Pedimos que você vigie e nos ajude a aprender a fazer sua vontade.
Amém

Opção 3
Oração original escrita pela Suprema Capelã

Fundamentação: Esta alteração está sendo proposta por Paige Abrahamson HRSB 2016-2017 e Cassie Allen Capelã do Supremo Bethel 2016-2017 e apresentada por Kathy Morgan, a Suprema Guardiã 2016-2017. Ambas Filhas acreditam que o Supremo Bethel é composto por um grupo diversificado de jovens mulheres de todo o mundo e a oração de abertura deve abraçar essa diversidade.

Emenda #30

Incluir Item - POP Bethel

Regras, regulamentos e procedimentos para o Bethel da Internet
Como as filhas às vezes são involuntariamente afastadas de seu bethel de origem, um Bethel na internet poderia ajudar em seu caminho nas Filhas de Jó. O bethel na internet daria o privilégio de reuniões na internet.

Associação

A. Uma filha ativa pode optar por participar de um Bethel na Internet se ela tiver sido afastada involuntariamente do Bethel mais próximo, em uma distância de sessenta e duas (62) milhas ou cem (100) Quilômetros. Sua meia-irmã, se residirem na mesma casa é elegível para juntar-se também.
B. A filha e a meia irmã de um membro da maioria que vivem na mesma casa e residir a mais de noventa e três (93) milhas ou cento e cinquenta (150) quilômetros são elegíveis para participar.
C- A HRSB e a Miss Internacional são membros convidadas de todo bethel na internet.
D - Se a filha pertence a um Grande Bethel ou Bethel Jurisdicional, ela terá todos os privilégios e responsabilidades do Grande Bethel e Bethel Jurisdicional e está sujeita aos mesmos procedimentos disciplinares. A secretária do Bethel da Internet deve notificar a Grande Secretária ou a Secretária Jurisdicional da Filha.
E - Se mais de nove (9) filhas viverem dentro de uma distância de trinta e uma (31) milhas ou cinquenta (50) quilômetro será o dever da Guardiã do Bethel notificar o Supremo Conselho Guardião dessa potencial formação de um Bethel.
F. Um membro é responsável por a sua própria conexão com a internet.
G. Um membro deve depositar quinze (15) unidades da moeda local para o software e o sistema operacional. Isso será devolvido da tesouraria do Bethel quando a filha sair ou se tornar um membro de maioridade.

Conselho Guardião do Bethel da Internet

A. Um Conselho Guardião do Bethel da Internet deve consistir de cinco (5) membros executivos nomeado pelo Supremo Conselho Guardião e até quatro (4) membros auxiliares nomeados pelo conselho guardião do Bethel da internet.
B- Cada membro do Conselho Executivo deve ser Past Grande Guardiã/ Past Grande Guardião Associado ou Past Grande Gruardiã ou Past Guardiã Jurisdicional/ Past Guardião Associado Jurisdicional e ter um cartão CAV atual.
C- Cada membro do Conselho Associado deve possuir um cartão C.A.V.

Procedimentos especiais para reuniões na internet

A. Antes da abertura, a filha deve estar em uma área protegida livre de possíveis interrupções.
B. As filhas devem iniciar seus computadores a partir da base de dados.
C. As filhas não devem copiar ou permitir que nenhuma outra parte do software fornecido para um Bethel da Internet seja copiado.
D. Antes da abertura, a Guarda Externa deve perguntar se há um homem qualificado para participar da reunião. Se assim for, a filha só estará participando como participante de áudio.
E. Todos os homens no Conselho Guardião possuirão apenas o software de áudio para permitir que eles participassem.
F. As Filhas não devem participar das reuniões de Robe.
G. Se o Ritual do Robe for apresentado, uma animação será usada para demonstrar.
H. Com exceção do trabalho de solo, todos os outros procedimentos normais de Bethel e Ritual devem ser seguidos.
I. Para fins de demonstração, o trabalho de solo pode ser “animado” e apresentado durante as iniciações.
J. As dívidas de um Bethel da internet ao Conselho Supremo do Guardião também devem incluir uma taxa de desenvolvimento de software, taxa de licenciamento e taxas para suprir os custos do servidor para o bethel na internet.

Filhas de Jó Internacional

A. As Filhas de Jó Internacional deve ser a proprietária/licenciada do Software do Bethel da Internet.
B. O software deve ser colocado em um stick de dados com um sistema operacional.

Emenda #31

POP BETHEL – 12

Atualmente

a) Um Bethel é criado reunindo-se não menos que quinze (15) moças elegíveis. A investigação de parentesco Maçônico de todas as candidatas deve ser feita pela Suprema/Grande Guardiã ou por uma pessoa nomeada para atuar em seu nome. As idades, endereço residencial principal, número de membros com dupla filiação e número de membros com petição por filiação serão levados em consideração antes que a Dispensa seja emitida. A solicitação será feita pelo formulário oficial de Solicitação de Dispensa, formulário 101. Esta solicitação deve ser testemunhada e aprovada por nove (9) adultos, dos quais, pelo menos um deve ser Mestre Maçom (Vide POL-BOT-2).

Alteração

a) Um Bethel é criado reunindo-se não menos que oito (8) moças elegíveis. A investigação de parentesco Maçônico de todas as candidatas deve ser feita pela Suprema/Grande Guardiã ou por uma pessoa nomeada para atuar em seu nome. As idades, endereço residencial principal, número de membros com dupla filiação e número de membros com petição por filiação serão levados em consideração antes que a Dispensa seja emitida. A solicitação será feita pelo formulário oficial de Solicitação de Dispensa, formulário 101. Esta solicitação deve ser testemunhada e aprovada por cinco (5) adultos, dos quais, pelo menos um deve ser Mestre Maçom (Vide POL-BOT-2).

Razão para mudança
Para tornar os requisitos para organizar um Bethel o mesmo que para um bethel em funcionamento. Para aqueles que estão sendo formados agora ou reabrindo.

EMENDAS PROPOSTAS DE 2017 - EMENDAS DE 1 A 31 - PARTE 4


Emenda #22

A Emenda #22 propõe a mesma alteração que a Emenda #17 e a Emenda #21.
Porem na Emenda #22 a adequação é ne seção de despesas e não na seção de receitas como nas emendas acima.

Emenda #23

R&R Concurso de Miss Filha de Jó Internacional

Incluir Item

Artigo V - Elegibilidade

Seção 3. Betheis sob Supremo

Onde há apenas um Bethel no estado, província, território, região ou país:

(A) O Bethel terá o direito de enviar uma (1) filha para competir no concurdo de MIFDJ.
(B) O Bethel deve estabelecer regras e regulamentos para selecionar uma filha para representá-los no concurso internacional.
(C) O Bethel pode apresentar uma jóia da Past Miss Filha de Jó (como mostrado no catálogo oficial) desde que tenha completado os requisitos necessários.
(D) O Bethel deve garantir que nenhuma filha que seja elegível para participar no Miss International tenha sido selecionada mais de doze (12) meses antes do concurso de Miss International

Razão para mudança:

Quando Bethel #1 de Anchorage, Alasca, tinha uma filha que desejava entrar no concurso, não havia diretrizes claras, porque Bethel #1 é o único Bethel na área. Esta adição aos Estatutos orientará os conselhos de Bethel para ajudar filhas qualificadas na preparação do concurso de Miss.

Emenda #24

R&R Supremo Bethel – Artigo VIII – Sorteio

Atualmente

(a) O sorteio para o Supremo Bethel pode ser realizado manualmente.

Alteração

(a)O sorteio para o Supremo Bethel pode ser realizado manualmente. O sorteio das Representantes do Supremo Bethel e oficiais instaladoras deverão ser feitos eletronicamente.

Razão para mudança:

Para reduzir o tempo da reunião do Supremo Bethel, gostaríamos de ter os representantes do Supremo Bethel e as oficiais instaladoras selecionadas através de um programa automatizado que acelerará o tempo de sorteio e o programa removerá automaticamente as jurisdições que deixaram de ter filhas elegíveis.

Emenda #25

R&R Supremo Bethel – Artigo VIII – Sorteio

Atualmente

(a) O sorteio para o Supremo Bethel pode ser realizado manualmente.

Alteração

(a) O sorteio para o Supremo Bethel pode ser realizado manualmente pelo manual de sorteio dos Oficiais do Supremo Bethel.

Razão para mudança:

Se o sorteio eletrônico passar a ser usado para representantes e oficiais instaladoras do Supremo Bethel precisamos esclarecer como será o processo do sorteio eletrônico.

Emenda #26

R&R Supremo Bethel – Artigo VIII – Sorteio

Incluir Item

(g) Para o sorteio eletrônico dos Representantes e as oficiais instaladoras do Supremo Bethel:

(1) O programa de banco de dados eletrônico contém a situação de todas as Representantes do Supremo Bethel e das oficiais instaladoras.
(2) O banco de dados eletrônico é preenchido no registro do Supremo Bethel.
(3) A base de dados deve ser programada para seleção aleatória de Filhas das jurisdições elegíveis de acordo com as regras do Supremo Bethel.

Razão para mudança:
Se o sorteio eletrônico passar a ser usado para representantes e oficiais instaladoras do Supremo Bethel precisamos esclarecer como será o processo do sorteio eletrônico.

Emenda #27

R&R Supremo Bethel – Artigo VIII – Sorteio

Atualmente

O disco de jurisdição da Filha sorteada (e que tenha aceito) deverá ser removido do Recipiente número 2 e deverá ser colocado no Recipiente número 4 para sorteios futuros.

Alteração

O disco de jurisdição da Filha sorteada (e que tenha aceito) deverá ser removido do Recipiente número 2 e deverá ser colocado no Recipiente número 4 para futuros sorteios de oficiais .

Razão para mudança:
Se o sorteio eletrônico passar a ser usado para representantes e oficiais instaladoras do Supremo Bethel precisamos esclarecer como será o processo do sorteio eletrônico.

Emenda #28

R&R Supremo Bethel – Artigo VIII – Sorteio

Atualmente

O Sorteio para os demais Cargos do Supremo Bethel deve se realizar como segue:

(1) A HRSB anunciará o cargo a ser preenchido. A sequência deve ser Primeira Princesa, Segunda Princesa, Guia, Dirigente de Cerimônias, Oficiais de Solo, Representantes, Musicista Instaladora e Oficiais Instaladoras.
(2) A HRSB selecionará um disco de Jurisdição do Recipiente número 2.
(3) O Comitê do SB selecionará todos os cartões qualificados para o cargo anunciado da Jurisdição selecionada no Recipiente número 1. Estes cartões serão colocados no Recipiente número 3. Se não existir Filhas qualificadas desta Jurisdição para este cargo, o disco de Jurisdição retornará ao Recipiente número 2, depois um segundo disco de Jurisdição é selecionado e os cartões qualificados colocados no recipiente número 1.
(4) A HRSB selecionará um cartão do Recipiente número 3 e anunciará o nome.
(5) A Filha selecionada informará sua aceitação ou declínio do cargo. Se declinar, outra Filha da Jurisdição selecionada será selecionada. Os cartões restantes retornarão ao Recipiente número 1. O disco de Jurisdição que foi utilizado será colocado no Recipiente número 4 para futuros sorteios.
(6) O Comitê do SB colocará a etiqueta do cargo anunciado no verso do cartão da Filha que aceitou. O cartão etiquetado será passado para a mesa de verificação na qual cada Filha selecionada é verificada e incluída na lista do Programa de Instalação.
(7) Quando não houver mais cartões para uma determinada Jurisdição, seu disco Jurisdicional é removido do Recipiente número 2. Quando o recipiente número 2 estiver vazio e ainda houver cargos a serem preenchidos, os discos de Jurisdições do Recipiente número 4 (Jurisdições previamente selecionadas) retornarão ao Recipiente número 2 e o processo continuará.
(8) Se uma Filha declina de um cargo, seu cartão é removido dos sorteios subsequentes, exceto para Oficiais Instaladoras.
(9) Nenhuma Filha deve ser a Representante do SB para sua própria Jurisdição. Se o disco de Jurisdição sorteado fôr o mesmo da próxima Jurisdição a ser designada, o primeiro disco de Jurisdição selecionado será reservado para a próxima Representante de Jurisdição a ser selecionada. Um segundo disco de Jurisdição deve ser sorteado para a Representante de Jurisdição original. Quando faltar apenas duas (2) Jurisdições para terem uma Representante designada, a HRSB sorteará dois (2) discos de Jurisdição do Recipiente número 2 e assegurará que nenhuma Filha seja solicitada a ser Representante de sua própria Jurisdição.
(10) O Comitê do SB assegurará que uma musicista qualificada esteja disponível para a Instalação do Supremo Bethel, no caso de não haver uma Filha Musicista qualificada disponível para servir como Musicista Instaladora. Se nenhuma Filha, não selecionada previamente, tiver se registrado como Musicista Instaladora, à outra Filha registrada para um cargo de Oficial Instaladora será dada a honra de ser selecionada Musicista Instaladora.

Alteração

( c ) O Sorteio para os demais Cargos do Supremo Bethel deve se realizar como segue:

(1) A HRSB anunciará o cargo a ser preenchido. A sequência deve ser Primeira Princesa, Segunda Princesa, Guia, Dirigente de Cerimônias, Oficiais de Solo, Representantes, Musicista Instaladora e Oficiais Instaladoras.
(2) A HRSB selecionará um disco de Jurisdição do Recipiente número 2 e anuncie a Jurisdição.
(3) O Comitê do SB selecionará todos os cartões qualificados para o cargo anunciado da Jurisdição selecionada no Recipiente número 1. Estes cartões serão colocados no Recipiente número 3. Se não existir Filhas qualificadas desta Jurisdição para este cargo, o disco de Jurisdição retornará ao Recipiente número 2, depois um segundo disco de Jurisdição é selecionado e os cartões qualificados colocados no recipiente número 1.
(4) A HRSB selecionará um cartão do Recipiente número 3 e anunciará o nome.
(5) A Filha selecionada informará sua aceitação ou declínio do cargo. Se declinar, outra Filha da Jurisdição selecionada será selecionada. Os cartões restantes retornarão ao Recipiente número 1. O disco de Jurisdição que foi utilizado será colocado no Recipiente número 4 para futuros sorteios.
(6) O Comitê do SB colocará a etiqueta do cargo anunciado no verso do cartão da Filha que aceitou. O cartão etiquetado será passado para a mesa de verificação na qual cada Filha selecionada é verificada e incluída na lista do Programa de Instalação.
(7) Quando não houver mais cartões para uma determinada Jurisdição, seu disco Jurisdicional é removido do Recipiente número 2. Quando o recipiente número 2 estiver vazio e ainda houver cargos a serem preenchidos, os discos de Jurisdições do Recipiente número 4 (Jurisdições previamente selecionadas) retornarão ao Recipiente número 2 e o processo continuará.
(8) Se uma Filha declina de um cargo, seu cartão é removido dos sorteios subsequentes mas permanece no sorteio para Oficiais Instaladoras.

d) O sorteio para os Representantes e Oficiais instaladoras do Supremo Bethel deve proceder da seguinte forma:

1) A HRSB anunciará os representantes dos bethéis e as oficiais instaladoras.
2) O programa de banco de dados selecionará uma Jurisdição e o HRSB anunciará.
3) O programa de banco de dados sorteará aleatoriamente apenas as Filhas elegíveis para o cargo.
4) O HRSB anunciará o nome da Filha selecionada.
5) A filha selecionada declarará sua aceitação ou declínio do cargo. Se for recusado, o banco de dados selecionará outra filha da mesma jurisdição.
6) O Comitê Supremo de Bethel deve colocar a etiqueta para o cargo anunciado no verso do cartão da filha que aceitou. O cartão etiquetado deve passar pela tabela de verificação onde cada Filha selecionada é verificada e incluida na lista do Programa de Instalação
7) O programa de banco de dados deve remover uma Jurisdição quando não houver mais Filhas elegíveis. Quando todas as jurisdições estiverem esgotadas, o banco de dados recarregará todas as jurisdições e Filhas elegíveis.
8) Se uma Filha declinar de um cargo, ela deve ser romovida do sorteio mas continua a ser elegível para o sorteio das oficiais instaladoras se desejar.
9) O banco de dados não permitirá que uma filha seja selecionada para representar sua própria jurisdição.
10) O Comitê SB assegurará que uma musicista qualificada esteja disponível para a instalação do Supremo Bethel. No caso de uma musicista qualificada não estar disponível para servir como musicista Instaladora, se não houver uma filha previamente selecionada como musicista instaladora uma outra filha que apta a ser oficial instaladora poderá ocupar o cargo.

Razão para mudança:
Se o sorteio eletrônico passar a ser usado para representantes e oficiais instaladoras do Supremo Bethel precisamos esclarecer como será o processo do sorteio eletrônico para representantes e oficiais instaladoras.


EMENDAS PROPOSTAS DE 2017 - EMENDAS DE 1 A 31 - PARTE 3


Emenda #15

POP CGJ 9

Atualmente

Seção 1. (a) Este CGJ opera sob a autoridade de uma carta constitutiva outorgada pelo SCG, datada de ___________________. A jurisdição deste CGJ deve estar limitada ao Estado/Província/Território/Região/País de ________________________________.

Alteração

Seção 1. (a) Este CGJ opera sob a autoridade de uma carta constitutiva outorgada pelo SCG, datada de ___________________. A jurisdição deste CGJ deve estar limitada ao Estado/Província/Território/Região/País de ________________________________. E poder anexar toda ou parte como adjacente um Estado/ Província / Território / Região / País para acomodar Bethels subordinados ao Supremo.


Emenda #16

Estatuto do Bethel - Artigo II - Seção 3

Atualmente

O Bethel para o qual o membro apresentou seu recibo de taxas, deve entrar em contato com o Bethel de origem para verificação.

Alteração

Após a apresentação do Formulário 131d, pedido de dupla filiação, um cartão de taxas atual e após a aprovação dos membros do Conselho Executivo do Bethel, a filha pode ser admitida no Bethel como um membro com dupla filiação.

Razão para mudança:
Para fazer uso do Formulário 131d e ter um documento oficial no arquivo para acompanhar o
membro e ter certeza de que, embora a filha tenha um cartão de taxa atual, ela pode ter sido suspensa ou estar sofrendo ação disciplinar e também ter o consentimento dos pais que ela está se juntando a outro bethel.

Emenda #17

POP 2 – Bethel


Atualmente


Seção 1. Receitas

(a) Todas as quantias auferidas em nome do Bethel devem ser recebidas pela Secretária do Bethel/Guardiã Secretária e repassadas para a Tesoureira do Bethel/Guardiã Tesoureira.

(b) Taxas: (Vide POP-SCG-11)

(2) A taxa de iniciação para cada membro quando ela entra na Ordem é:

(a) Para Bethéis subordinados ao Supremo, dez (10.00) USD, CAD, AUD, PHP, BRL,...etc e deve sofrer correção de dois por cento (2%) ao ano a contar de 01 de Janeiro de 2004.
(b) Para Bethéis subordinados a um GCG, quatro (4.00) USD, CAD, AUD, PHP, BRL,... etc., e deve sofrer correção de dois por cento (2%) ao ano a contar de 01 de Janeiro de 2004.
(c) Se a candidata for reprovada a taxa deve ser devolvida.

(3) A taxa de filiação deve ser metade (1/2) da taxa de iniciação.

(c) Taxas Anuais: (Vide E-GCG Art. XVII Seç. 1.22)

(1) A taxa anual para cada membro incluso no relatório, por Bethéis com Carta Constitutiva, em 31 de Dezembro é de dez vírgula doze (10,12) USD, CAD, AUD, PHP, BRL,... etc., iniciando em 31 de dezembro de 2007 e deve sofrer correção de dois por cento (2%) anualmente. As taxas devem ser pagas, antecipadamente, em 1º de Janeiro de cada ano.
(2) Membros cujas taxas não tenham sido pagas por um período de um (1) ano devem ser considerados inadimplentes.

Alteração

Seção 1. Receitas

(a) Todas as quantias auferidas em nome do Bethel devem ser recebidas pela Secretária do Bethel/Guardiã Secretária e repassadas para a Tesoureira do Bethel/Guardiã Tesoureira.

(b) Os fundos transferidos eletronicamente de uma conta do Bethel devem ser incluídos no formulário 150 (Recibos, contas,...) e formulário 151 (Relatório da tesoureira do Bethel). A documentação da transação deve ser incluída com os recibos. Além disso, devem ser analisadas em reuniões do Conselho Guardião do Bethel as transferências aprovadas pelos membros executivos do CGB.

(c) Taxas: (Vide POP-SCG-11)

(2) A taxa de iniciação para cada membro quando ela entra na Ordem é:

(a) Para Bethéis subordinados ao Supremo, dez (10.00) USD, CAD, AUD, PHP, BRL,...etc e deve sofrer correção de dois por cento (2%) ao ano a contar de 01 de Janeiro de 2004.
(b) Para Bethéis subordinados a um GCG, quatro (4.00) USD, CAD, AUD, PHP, BRL,... etc., e deve sofrer correção de dois por cento (2%) ao ano a contar de 01 de Janeiro de 2004.
(c) Se a candidata for reprovada a taxa deve ser devolvida.

(3) A taxa de filiação deve ser metade (1/2) da taxa de iniciação.

(d) Taxas Anuais: (Vide E-GCG Art. XVII Seç. 1.22)

(1) A taxa anual para cada membro incluso no relatório, por Bethéis com Carta Constitutiva, em 31 de Dezembro é de dez vírgula doze (10,12) USD, CAD, AUD, PHP, BRL,... etc., iniciando em 31 de dezembro de 2007 e deve sofrer correção de dois por cento (2%) anualmente. As taxas devem ser pagas, antecipadamente, em 1º de Janeiro de cada ano.
(2) Membros cujas taxas não tenham sido pagas por um período de um (1) ano devem ser considerados inadimplentes.

Razão para mudança:Proporcionar um processo aprovado para transferências eletrônicas de dinheiro entre instituições bancárias on-line e as contas do Bethel.

Emenda #18

POP Bethel 6

Atualmente

O que se segue deve ser usado para Escolta, Apresentações e Honrarias, Categoria 20, Outros (Ritual página 53)

Se a Honorável Rainha e os Membros Executivos do CGB desejarem apresentar quaisquer pessoas adicionais na categoria 20, a seguinte ordem deve ser utilizada para os presentes:

Past Supremas Guardiãs/Past Supremos Guardiões Associados
Supremos Oficiais
Past Grande Guardãs/Past Grande Guardiões Associados
Past Guardiãs Jurisdicionais/Past Guardiões Jurisdicionais Associados
Grandes Oficiais
Oficiais Jurisdicionais
Guardiãs de Bethel/Guadiões Associados de Bethel
Past Guardiãs de Bethel/Past Guadiões Associados de Bethel
Membros do Conselho
Grão Mestre Deputado Distrital (ou equivalente)
Supremos ou Grandes Oficiais
Presidentes de outras Organizações da Família Maçônica
Oficiais Presidentes de outras Organizações da Família Maçônica
Quaisquer outros, por determinação da Honorável Rainha e dos Membros Executivos do CGB (Vide páginas 49 e 53 do Ritual para as Honrarias apropriadas)


Alteração

O que se segue deve ser usado para Escolta, Apresentações e Honrarias, Categoria 20, Outros (Ritual página 53)

Se a Honorável Rainha e os Membros Executivos do CGB desejarem apresentar quaisquer pessoas adicionais na categoria 20, a seguinte ordem deve ser utilizada para os presentes:

Filhas com outras honras jurisdicionaisPast Supremas Guardiãs/Past Supremos Guardiões Associados
Supremos Oficiais
Past Grande Guardãs/Past Grande Guardiões Associados
Past Guardiãs Jurisdicionais/Past Guardiões Jurisdicionais Associados
Grandes Oficiais
Oficiais Jurisdicionais
Guardiãs de Bethel/Guadiões Associados de Bethel
Past Guardiãs de Bethel/Past Guadiões Associados de Bethel
Membros do Conselho
Grão Mestre Deputado Distrital (ou equivalente)
Supremos ou Grandes Oficiais
Presidentes de outras Organizações da Família Maçônica
Oficiais Presidentes de outras Organizações da Família Maçônica
Quaisquer outros, por determinação da Honorável Rainha e dos Membros Executivos do CGB (Vide páginas 49 e 53 do Ritual para as Honrarias apropriadas)

Razão para mudança:
Com a revisão do Ritual, colocando o foco nas Filhas primeiro. A categoria 20 não menciona outras Filhas com Honras Jurisdicionais, como a Junior Miss e etc. A alteração fornece uma Jurisdição a opção de reconhecer essas Filhas no início da Categoria 20.

Emenda #19

POP Bethel 04

Atualmente
(a) A eleição de oficiais deve acontecer na segunda reunião dos meses de maio e novembro. Bethéis subordinados ao Supremo Conselho e Grande Conselho podem realizar eleições em outro período por emenda ao seu Estatuto. (Vide E-GCG Art. XVII Seç. 1.18)
(b) A eleição pode ser por votação sem indicação ou candidatas que aspirem a um posto eletivo podem ser solicitadas a se levantarem e dizerem seus nomes. Vence a maioria dos votos.
(c) Os métodos de votação serão: (1) Voto secreto, ou (2) Viva voz
(d) Cada GCG deve determinar o método a ser utilizado em sua jurisdição e esse deve ser o único método adotado na jurisdição.
(e) Os Bethéis subordinados ao Supremo devem usar o método especificado em seus Estatutos de Bethel.
(f) Procedimentos detalhados a serem seguidos na condução da eleição devem ser determinados pelos membros Executivos do CGB.
(g) Só poderão ser eleitos membros que estiverem presentes, exceto em caso de doença ou ausência inevitável. Os membros Executivos do CGB devem decidir e anunciar a elegibilidade do membro ausente.
(h) Todos os membros possuem o direito de votar até o final da gestão, mesmo que completem vinte (20) anos antes da eleição seguinte. (i) Vide POP-Bethel-18 para obter informações sobre Dispensas Especiais.
(i) Veja o POP Bethel 18 para informações sobre dispensas especiais

Alteração

(a) A eleição de oficiais deve acontecer na segunda reunião dos meses de maio e novembro. Bethéis subordinados ao Supremo Conselho e Grande Conselho podem realizar eleições em outro período por emenda ao seu Estatuto. (Vide E-GCG Art. XVII Seç. 1.18)
(b) Uma filha que fizer campanha para um cargo eletivo deve ser desqualificada de ser candidata nessa eleição por ação dos membros executivos do conselho guardião.
(c) Uma filha que solicita votos para uma filha que aspira a um cargo eletivo deve sofrer sanção disciplinar pela ação pelos membros executivos do conselho do Bethel.
(d) A eleição pode ser feita por cédula sem nomeação ou os candidatos que aspiram um cargo eletivo devem ser convidados a se levantar e indicar seu nome. O voto da maioria elegerá.
(e) O método de votação deve ser:
(1) Voto secreto, ou
(2) viva voz
(f) Cada GCG deve determinar o método a ser utilizado em sua jurisdição e esse deve ser o único método adotado na jurisdição.
(g) Os Bethéis subordinados ao Supremo devem usar o método especificado em seus Estatutos de Bethel.
(h) Procedimentos detalhados a serem seguidos na condução da eleição devem ser determinados pelos membros Executivos do CGB.
(i) Só poderão ser eleitos membros que estiverem presentes, exceto em caso de doença ou ausência inevitável. Os membros Executivos do CGB devem decidir e anunciar a elegibilidade do membro ausente.
(j) Todos os membros possuem o direito de votar até o final da gestão, mesmo que completem vinte (20) anos antes da eleição seguinte. (i) Vide POP-Bethel-18 para obter informações sobre Dispensas Especiais.
(k) Veja o POP Bethel – 18 para informações sobre dispensas especiais

Razão para mudança:
Proporcionar uma oportunidade justa e imparcial para todos os potenciais candidatos.

Emenda #20

POP Bethel 11

Atualmente

As cordas devem ser alinhavadas ao longo da parte inferior da costura da pala até três (3) polegadas de cada lado do centro frontal (medido na curva da pala), cruzadas no centro frontal três (3) vezes, passadas então uma vez ao redor da cintura e amarradas no centro frontal com um nó quadrado a uma (1) polegada abaixo da linha natural da cintura. A costura do ombro da pala pode ser presa à roupa de baixo se desejado.

Alteração

As cordas devem ser alinhavadas ao longo da parte inferior da costura da pala até duas (2) polegadas de cada lado do centro frontal (medido na curva da pala), cruzadas no centro frontal três (3) vezes, passadas então uma vez ao redor da cintura e amarradas no centro frontal com um nó quadrado a uma (1) polegada abaixo da linha natural da cintura. A costura do ombro da pala pode ser presa à roupa de baixo se desejado.

Razão para mudança:
A folga de 6 polegadas nas vestes faz com que o Robe fique de maneira desleixada em nossos membros menores. A folga de 4 polegadas deixará o robe com uma aparência melhor enquanto o estão usando.

Emenda #21

A Emenda #21 propõe a mesma alteração que a Emenda #17

EMENDAS PROPOSTAS DE 2017 - EMENDAS DE 1 A 31 - PARTE 2



Emenda #8

POP SCG 8

Atualmente

Seção 1. Eleição de Oficiais Eletivos (C-SCG Art. V Seç 1 (a))

(a) Carta de Intenção

1) Aqueles que desejarem formalizar uma “Carta de Intenção” para aspirar ao cargo de Suprema Dirigente de Cerimônias ou Supremo Guarda Externo podem enviar uma carta ao(à) Gerente Executivo(a) até 15 de junho.
2) A “Carta de Intenção” deve ser limitada a um máximo de quinhentas (500) palavras e deve ressaltar as competências e habilidades das partes interessadas, indicando uma razão pela qual ele / ela gostaria de ser eleito (a) como um oficial do Supremo Conselho Guardião. Esta será a única oportunidade que o(a) candidato(a) terá para passar esta informação ao corpo.
3) Aqueles que escolherem não formalizar uma “Carta de Intenção”, ou que perderem o prazo, devem permanecer elegíveis para aspirar ao cargo no dia da eleição.
4) Quaisquer “Carta de Intenção” recebidas no prazo devem ser impressas alfabeticamente pelo último nome da parte interessada e distribuída aos Delegados Votantes na Sessão Anual do SCG.

Alteração

Seção 1. Eleição de Oficiais Eletivos (C-SCG Art. V Seç 1 (a))

(a) Carta de Intenção

1) Candidatos que desejarem aspirar os cargos de Suprema Dirigente de Cerimônias ou Supremo Guarda Externo devem enviar uma carta ao(à) Gerente Executivo(a) até 15 de junho.
2) A “Carta de Intenção” deve ser limitada a um máximo de quinhentas (500) palavras e deve ressaltar as competências e habilidades das partes interessadas, indicando uma razão pela qual ele / ela gostaria de ser eleito (a) como um oficial do Supremo Conselho Guardião. Esta será a única oportunidade que o(a) candidato(a) terá para passar esta informação ao corpo.
3) Aqueles que escolherem não formalizar uma “Carta de Intenção”, ou que perderem o prazo, devem permanecer elegíveis para aspirar ao cargo no dia da eleição.
4) Quaisquer “Carta de Intenção” recebidas no prazo devem ser impressas alfabeticamente pelo último nome da parte interessada e distribuída aos Delegados Votantes na Sessão Anual do SCG.

Razões para a mudança:
Qualquer um que deseje aspirar aos cargos de Suprema Dirigente de Cerimônias ou Supremo Guarda Externo deve enviar uma carta de intenção até 15 de junho. Está é uma decisão qe deve ser tomada após muito se pensar, uma vez que leva em consideração que se trata de quatro anos de trabalho duro e intenso de dedicação aos seus cargos. E se uma pessoa não pode se ater a um prazo para uma inscrição para se eleger, a capacidade para se cumprir os demais prazos torna-se provavelmente suspeita. O SCG deve saber mais sobre uma pessoa do que o nome e qual a jurisdição a qual pertencem, para que líderes competentes sejam eleitos.

Emenda #9

POP SCG 8

Atualmente 

Seção 2. Eleição de Novos Membros do Conselho de Curadores (Vide E-SCG Art. VI Seç. 1 (b)) (a) Candidatos que aspirem ao Conselho de Curadores devem ser solicitados a se levantar e informar seus nomes e jurisdições.

1) Aqueles que desejarem formalizar uma “Carta de Intenção” para aspirar ao Conselho de Curadores pode enviar uma carta para o(a) Gerente Executivo(a) até 15 de junho.
2) A “Carta de Intenção” deve ser limitada a um máximo de quinhentas (500) palavras e deve ressaltar as competências e habilidades das partes interessadas, indicando uma razão pela qual ele / ela gostaria de ser eleito(a) como um membro do Conselho de Curadores. Esta será a única oportunidade que o(a) candidato(a) terá para passar esta informação ao corpo.
3) Aqueles que escolherem não formalizar uma “Carta de Intenção”, ou que perderem o prazo, permanecerão elegíveis para aspirar ao cargo no dia da eleição.
4) Quaisquer “Carta de Intenção” recebidas no prazo devem ser impressas alfabeticamente pelo último nome da parte interessada e distribuída aos Delegados Votantes na Sessão Anual do SCG.

Alteração

Seção 2. Eleição de Novos Membros do Conselho de Curadores (Vide E-SCG Art. VI Seç. 1 (b)) (a) Candidatos que aspirem ao Conselho de Curadores devem ser solicitados a se levantar e informar seus nomes e jurisdições.

1) Os candidatos que desejarem aspirar aos cargos do Conselho de Curadores devem enviar uma carta para o(a) Gerente Executivo(a) até 15 de junho.
2) A “Carta de Intenção” deve ser limitada a um máximo de quinhentas (500) palavras e deve ressaltar as competências e habilidades das partes interessadas, indicando uma razão pela qual ele / ela gostaria de ser eleito(a) como um membro do Conselho de Curadores. Esta será a única oportunidade que o(a) candidato(a) terá para passar esta informação ao corpo.
3) Aqueles que escolherem não formalizar uma “Carta de Intenção”, ou que perderem o prazo, permanecerão elegíveis para aspirar ao cargo no dia da eleição.
4) Quaisquer “Carta de Intenção” recebidas no prazo devem ser impressas alfabeticamente pelo último nome da parte interessada e distribuída aos Delegados Votantes na Sessão Anual do SCG.

Razões para a mudança:

Como na emenda para as Cartas de Intenção para os oficiais de linha, o mesmo raciocínio se aplica a um membro do Conselho de curadores. Ser membro do Conselho não é uma "caminhada fácil" e requer um trabalho muito intenso, disciplina e criatividade para manter esta Ordem que todos amamos em excelentes condições de trabalho. Isso inclui muitas áreas em que existem ligação entre os membros do conselho e um comite. Por isso a decisão de fazer os interessados a concorrer aos cargos no conselho de curadores deve enviar uma carta de intenção de 500 palavras para o SCG.

Emenda #10

Constituição de um Grande Conselho Guardião - Artigo III

Atualmente

Seção 1. (a) Este Grande Conselho Guardião opera sob a autoridade de uma Carta Constitutiva outorgada pelo Supremo Conselho Guardião e datada de _____________. A Jurisdição deste Grande Conselho Guardião deve estar limitada ao Estado/Província/Território/País de _______________________________.

Alteração

Seção 1. (a) Este Grande Conselho Guardião opera sob a autoridade de uma Carta Constitutiva outorgada pelo Supremo Conselho Guardião e datada de _____________. A Jurisdição deste Grande Conselho Guardião deve estar limitada ao Estado/Província/Território/País de _______________________________. E poder anexar toda ou parte como adjacente um Estado/ Província / Território / Região / País para acomodar Bethels subordinados ao Supremo.


Emenda #11

Estatuto GCG - Artigo XVII – Seção 13 

Incluir item

13 - Prescrever instruções adicionais para as reuniões mensais do CGB.

Razões para mudanças:
Permitir que um Grande Conselho Guardião estabeleça assuntos para a realização de reuniões de um CGB, como quórum e confidencialidade dos assuntos discutidos.

Emenda #12

Estatuto GCG - ARTIGO XVII – Seção 22

Atualmente

22- Estabelecer outras instruções pertinentes a Bethel:

(a) Taxas - Iniciação e filiação (Seção 1(b)*)
(b) Taxa Anual (Seção 1(c)*)
(c) Isenção de Taxas (Seção 2*)
(d) Despesas (Seção 3 (a)*)
(e) Fundo Educacional e Promocional (Seção 4*)
(f) Privilégios Especiais – com taxa (POP-Bethel-18) – sem taxa (POP-Bethel-18)
(g) Dispensas (POP-Bethel-18) (*Vide POP-Bethel-2 e POP-Bethel-21 Art.XI)

Alteração

22- Estabelecer outras instruções pertinentes a Bethel:

(a) Taxas - Iniciação e filiação (Seção 1(b)*)
(b) Taxa Anual (Seção 1(c)*)
(c) Isenção de Taxas (Seção 2*)
(d) Despesas (Seção 3 (a)*)
(e) Fundo Educacional e Promocional (Seção 4*)
(f) Privilégios Especiais – com taxa (POP-Bethel-18) – sem taxa (POP-Bethel-18)
(g) Dispensas (POP-Bethel-18) (*Vide POP-Bethel-2 e POP-Bethel-21 Art.XI)
(h) Procedimento eleitoral (*Vide POP-Bethel-4 e POP-Bethel-21 Art.VI)

Razões para mudança:

Para permitir que todos os Bethels dentro de uma jurisdição sigam o mesmo procedimento / instrução para o procedimento eleitoral. Como os escrutinadores relatam os resultados da votação, como administrar as cédulas quando solicitado. O supremo deixa isso para ser definido pelo Conselho Executivo (Vide POP-Bethel-4 (f)), o que poderia resultar em cada Bethel aplicando um procedimento diferente.

Emenda #13

Estatuto GCG - ARTIGO XVII – Seção 28

Incluir item

Atualmente

28 - Estabelecer outros procedimentos para a reorganização de Bethéis (Vide E-Bethel Art. XVI Seç. 1 (e), POP-Bethel- 9, POP-Bethel-18 #7 and POP-Bethel-16)).

Alteração

28 - Estabelecer outros procedimentos para a reorganização de Bethéis (Vide E-Bethel Art. XVI Seç. 1 (e), POP-Bethel- 9, POP-Bethel-18 #7 and POP-Bethel-16)).

(a) Fornecer outras instruções processuais para o fusão, encerramento, instituição ou reinstituição de betheis desde que as orientações do Supremo não sejam alteradas.
(Veja POP-Bethel-7, POP-Bethel-12, POP-Bethel-14 e POP-Bethel-16)


Razões para mudança:

Fornecer instruções de implementação adicionais. Os POP atuais são suficientemente genéricos e os numerosos detalhes envolvidos na fusão, encerramento, instituição e reinstituição de Betheis não são completamente abordados.

Emenda #14

POP-CGB-3

Incluir Item

Atualmente

Seção 1. Membros do CGB

(a) Membros do CGB podem ser destituídos de seus cargos pela Suprema/Grande Guardiã por justa causa, insubordinação, conduta indevida, procedimentos ilícitos ou retenção de qualquer propriedade do Bethel. O comunicado de tal destituição deve ser feito por escrito, citando a causa da destituição e detalhando o processo de apelação. Isto não nega à pessoa destituída o direito de apelação como citado em outros itens das leis. (Vide POPSCG-1).

(b) Membros Executivos do CGB que não tenham pago as multas previstas no Artigo VI, acima, devem perder o direito à associação no GCG.

Alteração

Seção 1. Membros do CGB

(a) Membros do CGB podem ser destituídos de seus cargos pela Suprema/Grande Guardiã por justa causa, insubordinação, conduta indevida, procedimentos ilícitos ou retenção de qualquer propriedade do Bethel. O comunicado de tal destituição deve ser feito por escrito, citando a causa da destituição e detalhando o processo de apelação. Isto não nega à pessoa destituída o direito de apelação como citado em outros itens das leis. (Vide POPSCG-1).

(b) Membros Executivos do CGB que não tenham pago as multas previstas no Artigo VI, acima, devem perder o direito à associação no GCG.

(c) Os membros do CGB podem ser removidos ou sancionados por não terem mantido a confidencialidade de assuntos tratados em uma reunião do CGB.

Razões para mudança:

Para garantir que todos os membros do CGB sejam lembrados da necessidade dA confidencialidade rigorosa dos assuntos discutidos nas reuniões do Conselho.


EMENDAS PROPOSTAS DE 2017 - EMENDAS DE 1 A 31 - PARTE 1



Emenda #1

Estatuto SCG
Artigo 1 Seção 1 Subseção G

Atualmente
Prescrever, com o voto de dois terços (2/3) dos membros presentes e votantes na Sessão Anual do SCG designada para tal, um Ritual e um Ritual Musical para abertura e encerramento de Bethéis, conferência das épocas e outras cerimônias, cujos direitos autorais devem estar em nome do SCG, permanecendo todos como propriedade do SCG. A próxima adoção de um Ritual e um Ritual Musical revisados terá lugar na Sessão Anual de 2011 e a cada quinze (15) anos a partir de então. Propostas de adições, subtrações ou mudanças no Ritual devem ser submetidas ao Comitê de Revisão (E-SCG, Art. XI, Seç. 7).

Alteração
Prescrever, com o voto de dois terços (2/3) dos membros presentes e votantes na Sessão Anual do SCG designada para tal, um Ritual e um Ritual Musical para abertura e encerramento de Bethéis, conferência das épocas e outras cerimônias, cujos direitos autorais devem estar em nome do SCG, permanecendo todos como propriedade do SCG. A próxima adoção de um Ritual e um Ritual Musical revisados terá lugar na Sessão Anual de 2011 e a cada Dez (10) anos a partir de então. Propostas de adições, subtrações ou mudanças no Ritual devem ser submetidas ao Comitê de Revisão (E-SCG, Art. XI, Seç. 7).

Razão para Mudança

Inicialmente foram definidos 15 anos devido ao alto custo de impressão do Ritual. Isso não é mais um problema e 15 anos é um tempo muito longo entre as mudanças e menos 10 anos seria difícil uma vez que é necessário no mínimo 2 anos para considerar as alterações, adapta-las e publicá-las. 

Emenda #2

Estatuto GCG - ARTIGO XVII

Incluir seção 4.1
Poderão ser adotados POP’s na Jurisdição, desde que não estejam em conflito com as leis do Supremo, para a gestão da Jurisdição incluindo reuniões anuais, relacionamentos com organizações maçônicas, eventos especiais, honrarias e etc. Os Pop’s seriam numerados a partir de 101 (1-100 seriam reservados para o Supremo) para as categorias do Grande Conselho Guardião, Conselho Guardião do Grande Bethel e Grande Bethel.

Razões para a mudança:
Fornecer autorização para jurisdições de Grande conselho criarem POP’s.

Emenda #3

Estatuto GCG - ARTIGO XVII

Incluir Seção 11
Permite que Filhas e certos membros de maioridade possam participar como membros em comitês específicos do GCG desde que estejam de acordo com a Política e Programa de Proteção à Juventude (YPP) ao atingirem a idade de 20 anos, mesmo enquanto membros.

Razões para a mudança:
Vários Comitês oferecem oportunidades para a entrada das filhas, porém a lei atual proíbe a entrade de filhas e os membros de maioridade que não possuam os requisitos do CGB. Comitês em reforma incluindo de miss, grande bethel e espiritos embaixadores são um começo. Uma ideia seria de chama-las como “Filhas conselheiras” ou algo similiar. Esta abordagem garantiria uma oportunidade para aprender o funcionamento e atividades em um nível mais alto, bem como seus resultados. Um GCG tem a responsabilidade de determinar para quais Comitês seriam adequados para os membros contribuírem, assim como quaisquer detalhes sobre quem se qualifica e o número de Filhas conforme a lei do GCG.

Emenda #4

Estatuto SCG  - Artigo X – Seção 2

Atualmente

Seção 2. Comitê de Bolsas Educacionais
(a) O comitê deve ser composto de três (3) membros. A cada Sessão Anual, um novo membro deve ser nomeado para uma gestão de três (3) anos.
(b) Os deveres deste comitê estão definidos abaixo, nos Art. XIV e XV abaixo.
(c) O(A) Presidente deve manter um arquivo permanente, que deve ser repassado ao/à seu/sua sucessor(a).

Alteração
Deletar item

Razões para a mudança: 
Este comitê e funções serão colocados em “Outros Comitês” ao invés de em “Comitês Permanentes”. Isso abre a elegibilidade de muitas outras pessoas que podem servir neste comitê.

Emenda #5

Estatuto SCG  Artigo XI – Nova Seção

Incluir Seção

Seção 12. Comitê de Bolsas Educacionais
(a) O comitê deve ser composto de três (3) membros. A cada Sessão Anual, um novo membro deve ser nomeado para uma gestão de três (3) anos.

(b) Os deveres deste comitê estão definidos abaixo, nos Art. XIV e XV abaixo.

(c) O(A) Presidente deve manter um arquivo permanente, que deve ser repassado ao/à seu/sua sucessor(a).

Razões para a mudança:
Este seção irá mover o Comitê de Bolsas Educacionais de um “Comitê Permanente” para “Outros Comitês” para que as pessoas que não são membros do SGC possam servir nesta comissão. Existem muitas pessoas que não são membros do SCG que podem servir neste comitê.

Emenda #6

Estatuto SCG  - Artigo X – Seção 5

Atualmente

Seção 5. Comitê de Promoção

(a) Os deveres deste Comitê são os seguintes:

(1) Revisar material promocional proposto e existente. Atualizar, descontinuar e produzir novo material, com aprovação da Suprema Guardiã, do Conselho de Curadores e do Comitê de Finanças.
(2) Aceitar todas as investigações e/ou solicitações para promoções novas ou adicionais em qualquer jurisdição subordinada ao Supremo e imediatamente consultar a Suprema Guardiã. 
(3) Iniciar, promover e desenvolver programas que auxiliarão no crescimento do número de membros da Ordem.
(4) Iniciar, promover e desenvolver programas que auxiliarão na retenção dos membros atuais. 
(5) Enviar sugestões de programas promocionais de associação para GCGs, CGJs e Bethéis subordinados ao Supremo, para sua consideração e uso.
(6) Promover para os Bethéis subordinados ao Supremo um programa de incentivo (associação) conforme aprovação da Suprema Guardiã e com despesas aprovadas pelo Comitê de Finanças.

(b) Os deveres da(o) Presidente deste comitê são os seguintes:
(1) Reunir, organizar e delegar tarefas para cada membro deste Comitê antes do encerramento da sessão anual. Os membros ausentes devem ser notificados de seus deveres dentro de duas (2) semanas.
(2) Nomear um membro do Comitê como Vice-Presidente, que assumirá as tarefas de Presidente na sua ausência ou impossibilidade.

Alteração
Deletar item

Razões para a mudança: 
Este item irá excluir o Comité de Promoção dos Comitês Permanentes e tranferi-lo para Outros Comitês. Isto abre a elegibilidade para o comitê, permitindo que aqueles que não são membros do SGC sirvam no mesmo.

Emenda #7

Estatuto SCG  - Artigo XI – Seção 13

Incluir Seção

Seção 13. Comitê de Promoção

(a) Os deveres deste Comitê são os seguintes:

(1) Revisar material promocional proposto e existente. Atualizar, descontinuar e produzir novo material, com aprovação da Suprema Guardiã, do Conselho de Curadores e do Comitê de Finanças.
(2) Aceitar todas as investigações e/ou solicitações para promoções novas ou adicionais em qualquer jurisdição subordinada ao Supremo e imediatamente consultar a Suprema Guardiã. 
(3) Iniciar, promover e desenvolver programas que auxiliarão no crescimento do número de membros da Ordem.
(4) Iniciar, promover e desenvolver programas que auxiliarão na retenção dos membros atuais. 
(5) Enviar sugestões de programas promocionais de associação para GCGs, CGJs e Bethéis subordinados ao Supremo, para sua consideração e uso.
(6) Promover para os Bethéis subordinados ao Supremo um programa de incentivo (associação) conforme aprovação da Suprema Guardiã e com despesas aprovadas pelo Comitê de Finanças.

(b) Os deveres da(o) Presidente deste comitê são os seguintes:

(1) Reunir, organizar e delegar tarefas para cada membro deste Comitê antes do encerramento da sessão anual. Os membros ausentes devem ser notificados de seus deveres dentro de duas (2) semanas.
(2) Nomear um membro do Comitê como Vice-Presidente, que assumirá as tarefas de Presidente na sua ausência ou impossibilidade.

Razões para Mudança:
 Este item irá excluir o Comité de Promoção dos Comitês Permanentes e tranferi-lo para Outros Comitês. Isto abre a elegibilidade para o comitê, permitindo que aqueles que não são membros do SGC sirvam no mesmo.